Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

X
Crónica: A Voz do Cigano – O valor da Família

27/08/2020

Para os ciganos a família mais próxima é o núcleo do seu universo e é encarada como espaço de afetos, de trocas mútuas e de reconhecimento cultural. 

A comunidade cigana está ligada por laços de parentesco diretos ou indiretos pelo matrimónio. A família protege os seus membros, coloca a ideia de comunidade acima do indivíduo.

As relações dentro da família cigana assentam em valores culturais que focam o respeito, o carinho, o não abandono dos mais velhos e das crianças, a solidariedade com as famílias em dificuldades e os doentes.

Embora a nível cultural, se esteja a sentir uma progressiva integração dos princípios tradicionais nos da cultura maioritária, a maior parte dos membros desta comunidade continuam a seguir os seus costumes e, quando se casam, têm normalmente um grande número de filhos para aumentar a força do grupo de parentesco.

Em relação às crianças, os pais dedicam um amor intenso aos filhos. Dão-lhes todas as liberdades, procuram o melhor alimento para eles, acarinhando-os e defendendo-os de todos os perigos. Demonstram grande compreensão e tolerância face às atitudes e comportamentos, sendo que deixam as crianças brincar livremente, explorando o ambiente envolvente. 

Os idosos são os merecedores da mais alta estima e respeito, sendo tratados como os detentores da sabedoria, da experiência de vida acumulada e os seus conselhos são ouvidos pelos jovens e adultos como sendo a voz do conhecimento aprendido na prática da vida e no dia-a-dia. Quando existe um problema familiar mais sério a palavra dos idosos é a que fala mais alto. São cuidados com dignidade e muito carinho pelos demais e esta forma de tratamento faz com que se mantenham lúcidos até o final de sua vida.

Assim como não abandonam as crianças, os ciganos jamais abandonam os seus velhos. E estes são apenas alguns exemplos, dos vários que podemos encontrar neste povo cigano, um povo que tem uma cultura milenar, e que mesmo sendo excluído, partilha valores com a sociedade em geral.

No fundo, os portugueses sabem muito pouco sobre os costumes e as tradições da comunidade cigana. Há muitos mitos e muitos preconceitos. Parte da comunidade já luta por se integrar, mas mantêm-se sempre orgulhosa, sempre em defesa dos seus ritos e tradições.

 

Crónica do projeto InterCOOLturas - Mediadores Municipais e Interculturais (POISE-03-4233-FSE-000036) promovido pela Câmara Municipal de Castelo Branco em parceria com a Amato Lusitano – Associação de Desenvolvimento com o objetivo de apresentar de uma forma simplista as diferentes áreas que compõem o quotidiano do povo cigano e também algumas curiosidades.

Newsletter Amato Lusitano - Associação de Desenvolvimento
Receba em 1ª mão todas as novidades!