Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

X
“VAMOS LEMBRAR, NÃO PODEMOS CALAR…” | Dia Internacional da Mulher

08/03/2020

Hoje, dia 8 de março, é celebrado o Dia Internacional da Mulher, a Amato Lusitano – Associação de Desenvolvimento, procura homenagear as mulheres assassinadas no âmbito de situações de Violência Doméstica, em 2019, através da Estrutura de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica.


Em alguns locais da Turquia, é tradição deixar os sapatos de alguém que morreu na parede de casa, e é com esta ideia, já reproduzida em vários países, que se pretende aqui consciencializar sobre os 30 femicídios ocorridos em Portugal no último ano.


Estima-se que, em 2019, tenham ocorrido 37 mortes por Violência Doméstica, sendo as vítimas 29 mulheres adultas, uma criança e sete homens. Estas 29 mulheres adultas tinham, no total, 48 filhos/as.


Para consciencializar sobre os 30 femicídios ocorridos em Portugal, no último ano, queremos lembrar e não calar em homenagem a elas e por todas as mulheres vítimas deste crime. 
Construímos, pelo campo Mártires da Pátria – “Docas” de Castelo Branco, um percurso itinerante composto por 30 pares de sapatos vermelhos, apresentando o nome e a idade das vítimas, com a intenção de personificar a violência do crime que lhes retirou a vida.


Destas 30 vítimas mortais de Violência Doméstica do sexo feminino:


- 23 foram mortas no contexto de relações de intimidade, presentes ou anteriores. Mais especificamente,16 mulheres tinham uma relação atual de intimidade com o agressor e 7 já tinham acabado ou procurado acabar essa relação.


- 7 foram mortas no contexto de violência intrafamiliar, sendo uma vítima de um ascendente direto, uma vítima de descendente direto e cinco vítimas de outros familiares. 

Relativamente ao local onde ocorreu o crime, 22 casos ocorreram no local de residência, 5 ocorreram em via pública, 2 casos em local isolado e 1 no local de trabalho da vítima.


Em 21 destes 30 casos, a mulher assassinada já era previamente vítima de violência nessa relação (in Relatório Preliminar de Mulheres Assassinadas da UMAR - 01 de janeiro a 12 de novembro de 2019).

Por todas as mulheres vítimas de femicídio e por tod@s aquel@s que ficaram sem elas – @s filh@s, a família, @s amig@s – Vamos Lembrar, Vamos Falar, Não Podemos Calar… porque esta é a melhor homenagem que lhes podemos prestar.

Não deixe de denunciar este tipo de situações através da Associação de Desenvolvimento – Amato Lusitano pelos contatos:
Estrutura de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica de Castelo Branco
272 321 332 // nav.cbranco.amatolusitano@gmail.com

 

Newsletter Amato Lusitano - Associação de Desenvolvimento
Receba em 1ª mão todas as novidades!