Este site utiliza cookies que facilitam a navegação, o registro e a obtenção de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

X
RAP - Resposta de Atendimento Psicológico para Crianças e Jovens Vítimas de Violência Doméstica da Beira Baixa

 

Horário de Atendimento
2ª a 6ª feira
09h00 às 12h30
14h00 às 17h30


Contactos:
rap.castelobranco@amatolusitano-ad.pt
272 325 126

 

Designação do projeto | RAP - Resposta de Apoio Psicológico para Crianças e Jovens Vítimas de Violência

Código do projeto | POISE-03-4437-FSE-000337

Objetivo principal | Promover a inclusão social e combater a pobreza e discriminação

Entidade beneficiária | Amato Lusitano - Associação de Desenvolvimento

Data de aprovação | 01-07-2021
Data de início | 01-09-2021
Data de conclusão | 31-12-2022
Custo total elegível | 62.744,91€
Apoio financeiro da União Europeia | 53.333,17€
Apoio financeiro público nacional/regional | 9.411,74€

 

 

Face à necessidade local relativamente à intervenção com crianças e jovens expostas à violência interparental, criou-se uma estrutura especializada para atendimento psicológico a crianças e jovens vítimas de violência doméstica, que permite a consolidação da Rede Nacional de Estruturas de Apoio à Vítima face a esta vertente.

Esta resposta de atendimento psicológico permite a intervenção psicológica e psicoterapêutica a crianças e jovens vítimas de violência doméstica.


A RAP Beira Baixa tem como função:

- Análise dos critérios que indiquem a possibilidade de violência e a sua origem;
- Avaliar a gravidade da situação e quais as implicações nas vítimas;
- Avaliação e intervenção psicológica.

A intervenção será individual ou em grupo.

 

Área territorial de atuação:

A RAP irá funcionar com o apoio e em estreita articulação com a EAVVD – Castelo Branco e irá apropriar-se das suas redes já criadas e consolidadas por todo o território da CIM Beira Baixa (Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão) e com as diversas organizações que compõem as redes de parceria informais e formais da EAVVD.

 

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

A presente operação visa a dinamização de uma atividade única que consiste na implementação de uma estrutura de atendimento psicológico que permita a intervenção psicológica a crianças e jovens vítimas de violência doméstica, que estejam acolhidas/os no CAEVCB ou em acompanhamento na EAVVD, mas que também sejam encaminhadas por outras entidades parceiras do território.
Estabelece-se, como meta mínima, o apoio psicológico a 60 crianças e jovens vítimas de violência doméstica/expostas a violência interparental ao longo do projeto, que se traduz em cerca de 240 atendimentos, estabelecendo um número mínimo de 4 atendimentos por criança/jovem a realizar, durante os 18 meses de execução do projeto. 

 

Programa Operacional: Programa Operacional Inclusão Social e Emprego
Fundo: Fundo Social Europeu

Prioridade de investimento: Luta contra todas as formas de discriminação e promoção da igualdade de oportunidades
Tipologia de operação: 3.17 – Instrumentos Específicos de Proteção das Vítimas a de
Acompanhamento dos Agressores na Violência Doméstica
Título da operação: RAP – Resposta de Apoio Psicológico para Crianças e Jovens Vítimas de Violência
Concurso (aviso): POISE-37-2021-01
Organismo intermédio (OI): Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG)

Newsletter Amato Lusitano - Associação de Desenvolvimento
Receba em 1ª mão todas as novidades!